Por dentro das notícias

Páginas

5 de abr de 2010

Descontração: O empresário de bom coração!!!

(Foto Ilustrativa)




Certa tarde, um bem sucedido empresário estava sendo conduzido em sua limusine para sua fazenda, quando observou dois homens maltrapilhos comendo grama ao lado da estrada.

Ele ordenou imediatamente ao motorista que parasse, saiu do veículo e perguntou:

- Por que vocês estão comendo grama?

- Porque nós não temos dinheiro para comprar comida, respondeu um dos homens.

- Bem, você pode vir comigo para a minha fazenda disse o empresário.

- Senhor, eu tenho uma esposa e três filhos aqui.

- Traga-os também replicou o empresário.

- E quanto ao meu amigo?!

O empresário virou-se para o outro homem e disse:

- Você pode vir conosco também.

- Mas, senhor eu também tenho esposa e seis filhos, disse o segundo homem.

- Eles podem nos acompanhar também, disse o empresário enquanto se dirigia de volta à limusine.

Todos se acomodaram como puderam na limusine, e quando já estavam a caminho, um dos acompanhantes disse:

- O senhor é muito gentil. Obrigado por levar-nos a todos com o senhor.

O empresário respondeu:


- De nada!!! Vocês irão adorar minha fazenda! A grama está com quase um palmo de altura!!!

Até que fim Ofociais e Praças se unem na Paraíba!

'''''''






Sem medo de errar: hoje é um dia para ser eternizado na história – e na memória – da Polícia Militar da Paraíba. Conclua a leitura e saiba por quê.





Quem é militar sabe o quanto oficiais (coronéis, majores, capitães, tenentes...) e praças (sargentos, cabos, soldados...) estiveram distantes durantes esses 178 anos da corporação paraibana, quando o assunto é mobilização, paralisação, reivindicação.





Sempre que uma parte – na maioria das vezes os praças – levantava a voz para solicitar algo de melhor, a outra vertente – os oficiais – sempre se fazia intocada, indiferente. “O direito do subordinado não sensibilizava a ‘arrogância’ do superior”.





Várias, incontáveis, inesquecíveis foram as vezes em que apenas os policiais de maior patente gozavam o desfecho triunfante de uma pendenga com o Estado, enquanto que a massa militar de menor graduação amargava a derrota de um grito sem eco. Isso sem falar nas punições...





Mas este último dia de março/2010 foi diferente. “Pela primeira vez na história da Polícia Militar da Paraíba”, como disse um policial a este site, “nunca se viu oficias da mais alta patente seguir uma paralisação iniciada pelos praças. É um fato histórico, pode anotar.”














O ParaibaemQAP anotou. E notou que na face do oficialato de Campina Grande paira a imagem de desgaste. É como se aquela distância entre as partes não tivesse mais razão de ser, já que os problemas vividos por toda a corporação atingem, no fim, todos os que vestem a farda da ‘briosa’. Seja com divisas ou estrelas.











No final do primeiro trimestre do ano 2010, a grande maioria (senão todos) dos oficiais de mais alta patente que comandam o policiamento de Campina Grande e região seguiram para a capital paraibana, para











anunciar seus cargos “à disposição do governo”. Um ato de coragem, bravura e – mais que tudo – companheirismo.








A paralisação, iniciada pelos praças e intitulada de Polícia Legal, parecia morrer sufocada no poder dos coronéis. Mas não foi. Num ato histórico da PMPB, o 2º BPM e o 10º BPM, ambos sediados em Campina Grande, ressoaram o grito de liberdade que partiu dos [quase] nunca ouvidos pracinhas.

Não importa o que resultará disso tudo. A Polícia Militar da Paraíba já pode bater no peito e dizer que, pelo menos em parte, ela é composta por homens e mulheres dignos de respeito. E de gratidão

'''''''''''''
AUTOR: ParaibaemQAP

''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''